quinta-feira, 28 de julho de 2011

Mudar


Passam as horas e já são quase 3 horas da manhã, pensamentos vazios rondam minha mente, mas nada de muito concreto, tudo parece estar longe da realidade, um vazio obscuro dentro do meu peito.
Hoje foi um dia comum, nada fugiu do contexto, a vida continuou seus traços monótonos de sempre, mas esse vazio talvez espelhe a grandeza, uma grandeza diferente de qualquer outra coisa, a grandeza em que digo é a vontade insaciável de mudar, apenas mudar.
Mudar, como fazer esse ato tão simples e complexo ao mesmo tempo, é muito difícil estabelecer regras e definir exatamente o que está longe de seu ponto e trazer o que necessita tal mudança.
Pensamentos estranhos, essa problemática já apareceu algumas vezes em meus 17 anos, mas de tempos em tempos ela ressurge. É óbvio que alguma medida deve ser tomada, mas algo concreto, nada de rodeios.
Arrumar um amor? Dificil. Amor é muito complexo para achar de um dia para outro apenas por resposta a uma dúvida.
Novos pensamentos? Talvez. Sempre bati demais na tecla da dúvida e nunca me apeguei a nada concreto, talvez seja em esse ponto que cai tanto vazio, mas não mudarei todos meus ideais de uma hora para outra.
Apenas viver? Sim. A vida tem tanta complexidade, que ela em sim tem a resposta mais simples, pois o propósito da mesma é apenas ser vivida, dúvidas lhe tomarão conta, sim, é verdade, mas primeiro viva. Depois pergunte.
Olha, cheguei há uma conclusão? Seria mais fácil se respondesse sim, mas não sou assim, gostaria de me conformar e nunca mais questionar, mas esse sou eu, nasci com o dom de questionar e já faz parte de minha personalidade, as respostas acima vieram na hora de digitar, mas podem se alterar aos poucos com interpretações de pensamentos.
Mudar...Palavra difícil que aos poucos vai mudando até sua definição dentro de cada um, cabe a você trazer o seu significado em cada momento de sua vida.


Reinaldo Del Trejo, 28/07/2011.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

O Sucesso me pertence


Todo mundo que consegue sucesso é logo discriminado ou existe a tentativa de menosprezo de seu próspero progresso, isso é fato, o ser humano é extremamente hipócrita. Porque não consegue aceitar a vitória alheia, seja profissional ou pessoal, aquele que alcança os seus objetivos acaba sendo alvejado por criticas estúpidas.

Como por exemplo, um rapaz de beleza não tão apurada se tiver com alguma mulher considerada bonita, segundo pensamentos invejosos, a moça só está com ele por causa de interesses financeiros, ou quando um cantor ou ator alcança um sucesso repentino, ele é chamado de gay (não que ser gay é um defeito, longe disso), mas é que a sociedade quer menosprezar as pessoas e considera essa orientação algo anormal, mostrando toda a sangria nos olhos contemporâneos.

O sucesso é extremamente perseguido por quase todas as pessoas, mas rola um jogo muito estranho, que é a discriminação do mesmo, quando ele é conseguido por outras pessoas.

Chega a me dar medo, pois esse sentimento é geral e batem pensamentos do tipo : “Poh, poderia ter sido eu, ou , velho, sou melhor, eu deveria estar lá.”

Temos que usar essa faísca de inveja em nosso favor, que é ato de tentar superar a si e aos outros de forma justa e honrosa, no peito mesmo, sem nenhum tipo de sentimento idiota e desregulado por pensamentos nada nobres.

A melhor maneira de acabar com isso, é começar a erguer a cabeça e gritar : Sou capaz, agora é comigo, vou superá-lo, mas de forma justa, pois esse é o mundo e ele deve ser encarado com muita dignidade.

domingo, 10 de julho de 2011

Vocé é quem desenha os seus limites



Hoje me bateu um sentimento extremamente estranho, pois passei a pensar como o ser humano é limitado. Sendo que a partir do fracasso alheio, o mesmo se acha superior e bate a porta o sentimento de sucesso. Mas espera ai, então estamos nos desenhando aos limites dos outros?
Que pensamento mais estúpido, usando como exemplo, se fizermos uma prova e de certa forma no momento acharmos que fomos despreparados para a mesma, mas depois que o resultado vem a tona, percebemos que fomos melhor que a maioria, dessa forma mesmo em nosso inconsciente nos achamos superiores e estabelecemos uma sensação de acomodação.
Defino esse sentimento como a coisa mais repugnante em nós, porque nos consideramos superiores pelo limite do próximo e não de nossa capacidade, e assim parece que tudo está em seus conformes, mesmo no começo tendo a sensação que fracasso. Esse sentimento é definido pelo limite alheio.
O limite da pessoa ao lado não pode estabelecer a sua linha de sucesso, pois nosso limite não pode ficar amarrado como o do resto do mundo, cada pessoa é única e somos de certa forma, individualistas em nossos objetivos.
Outro fator que mostra essa apegação em relação aos semelhantes ou pessoas do convívio, é o fato de quando um familiar fez algo marcante, nos sentimos obrigados a fazer um feito da mesma intensidade, ou nos sentimos inferiores.
Onde quero chegar é que cada um é um ser diferente, ninguém tem as mesmas ambições e desejos, pois cada ser desenha o seu destino de forma diferente, e colocando a vida como um grande quadro, os nossos atos e ideais seriam o lápis, e cabe a você calibrar esse desenho e fazer os traços que achar ideal para ti.
Ou seja, a vida é sua, ninguém pode influenciar os seus traços de vida, o mundo pode ser limitado, mas quem delimita o seu caminho é apenas você.