segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Meu filho será...


Um grupo de pessoas estava falando sobre o futuro de nossos futuros filhos, por acaso eu estava incluso nesse grupo, até que meio que do nada um dispara:
_O meu filho será um grande médico, ninguém operará melhor do que ele!
O outro soltou:
_Meu filho será um excelente advogado, ninguém ganhará mais causas do que ele...
_Meu filho será um grande empresário, nada nem ninguém terá mais poder do que ele!_O mais ganancioso relatou de forma arrogante.
Até que todos começaram a me encarar, o silêncio pairou meu rosto, até que me levantei, estava saindo, até que um cavalheiro gritou meu nome e perguntou ironicamente:
_E seu filho, qual o grande futuro dele??!
_Meu filho será muito feliz, nada nem ninguém será mais feliz do que ele, e ele também fará outras pessoas felizes, pode ter certeza disso. _Virei e conclui...
O silêncio reinou na roda, e simplesmente me afastei...

Morrer?


Vamos analisar uma situação complexa.
O ser humano, nasce, cresce, evolui, tem filhos e tal, lindo não ? Que vida incrível não é verdade?
Só que nesse meio tempo, pode acontecer varias coisas como sabe, algo parecido com a morte...Sim, a morte.
A morte pode atrapalhar e muito esse ciclo dourado de vida, e ela pode vir de forma imediata, sem sombra de dúvida, é algo que não podemos evitar.
Morrer. É complicado morrer, é como se todos nossos planos fossem vedados por algo, ou não, vai saber, ninguém sabe realmente o que acontece depois da morte.
Mas nesse quesito, a morte interrompe sim, um ciclo, um ciclo de vida, onde quem morreu, com certeza não realizou tudo o que desejava durante a vida, é como se nossa vida fosse algo em que temos certeza que seremos interrompidos no meio do caminho.
Depois de refletir sobre tudo isso, cheguei a uma certeza, não quero morrer, tenho muitos planos, muita coisa para fazer ainda, e tenho certeza que posso fazer muitas pessoas felizes por mais um longo tempo, e depois de realizar alguns de meus desejos, quem sabe, quando eu estiver beirando os 100, 100 e poucos anos, bom, ai sim posso morrer sem maiores preocupações.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Olhei para a Casa Branca


Uma casa branca com arredores esbranquiçados, uma frase de amor exposta em seu muro vazio, vários valores ressaltados por um grande nada, sua arquitetura estranha e dissolvida no grande nada.
Um olhar profundo, maior que a rala composição de um vazio e vago horizonte.
Um horizonte distante, onde sua imaginação não passa perto de adentrar, pois esse é meu mundo, não o seu.
Ideias ou ideais, qual será o verdadeiro valor de cada linha entrelaçada no mais profundo obscuro de pensamentos que simplesmente não existem, ou são complexos demais para minha fraca capacidade de raciocínio.
Para que pensar se posso simplesmente aceitar?
Bom, pelo fato de quando eu penso, eu faço, e quando eu faço, eu vivo.
O que minha imaginação fará de mim?
Absolutamente tudo, tudo o que penso está consumado, e tudo dentro dessa consumação exerce prática sobre o meu ser.
Sou...
Simplesmente sou, e nada nem ninguém pode mudar essa minha essência.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Enfim 18


Enfim cheguei a meus 18. Putz, foi tanta ansiedade, que agora, olhe só, já sou maior de idade, mas o que será que irá mudar?
Bom, não tenho assim tanta certeza, aliás, não faço a menor ideia, talvez agora com a maioridade, meu subconsciente me force a ser mais responsável com alguns assuntos, bom, que tipo de assunto?
Não sei bem, eu sinceramente me acho um pouco responsável sim, é complicado que de vez em quando eu fico puto com tudo, e quando fico puto com alguma coisa, eu sei que viro uma merda de se lidar, mas fazer o que, todos temos falhas e isso é inevitável.
Quando falo que algo muda, quero colocar em ênfase que tem momentos em que temos que nos tornar mais responsáveis com nós mesmo, e acontece que tem datas que parecem que nos obrigam a isso.
Espera ai, tem datas que nos “obrigam” a isso?
É isso mesmo que eu escrevi?
Quer saber?
Fodasse essa porra toda, to nem ai o que uma data vai dizer, sou maior de idade? Sim, sou. Sei que esperava e muito essa data, só que também sei que não posso me obrigar a mudar por causa de algo ilusório.
Fiquei feliz em enfim completar 18 anos, pois agora poderei fazer algumas coisas que a sociedade tenta impedir para menores de idade, só tenta, essa é a verdade, é claro que tem que ter um limite e tal, só que isso é muito estranho, acho que um ser humano não se torna responsável ou não a partir de um ponto, isso é muito mais complexo que isso.
Ponto final, nada a mais do que isso, acho que a sociedade é uma bosta hipócrita que tenta nos moldar, e temos que lutar contra isso para não nos virarmos coisas maleáveis.
Afinal, ninguém pode nos obrigar a fazer nada...

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Amanhã é 18


É, o tempo passa, e passa de uma maneira muito estranha, e cá estou, no ultimo dia antes de meus 18 anos, não quero dormir hoje, pois sei que essa cidade significa um pular de era, onde pode-se dizer que é quase enterrado todo o meu lado de criança.
Cresci, isso é óbvio, mas será que amadureci? Isso não sei bem explicar, mas sei que nesses anos tive muitas experiências, e acredito que aprendi muita coisa com a vida.
Preparado eu não estou, pois sei que a vida é muito complicada, mas vou encará-la com punhos de ferro, não tenho medo de meus 18, não terei medo de meus 30, não terei medo nem de meus 50, que venha tudo pela frente, irei engolir tudo.
Da melhor forma que eu conseguir.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Professora, é de xizinho?!


Estava tranquilamente fazendo minha última prova de Dac – Português, a prova havia algumas questões dissertativas e outras com alternativas.
A prova em si tava mamão com açúcar, só que era um pouco cansativa, até que ouço a pérola da noite, um colega meu pega e dispara “Professora! Qual que é de Xizinho?!, professora olhou com uma cara, que descrevo, não chegava a ser ódio, mas era algo meio melancólico, era como se, “Meu, como esse cara chegou no terceiro ano?”, mas calmamente ela indagou, que tais questões eram dissertativas e outras não.
Velho! É só o cara ler o maldito enunciado, e saberá se as questões serão ou não de x, é assim, muito difícil eu acho, é foda ler algo do tipo, “assinale a alternativa correta”, ou senão, “Qual a alternativa mais pertinente”, olha, vou falar a verdade, eu fico puto com umas coisas dessas, afinal, imagine na imensidão de nosso país, quantos alunos que perguntam se a prova é de x não estão se formando?
São milhares, milhões, deve ser um puta de um número alto para caralho, mas você acha que nosso governo pensa em reprovar esses alunos?
Que nada, se eles passam esses alunos, esses mesmos serão eleitores manipuláveis, sem uma opinião critica, e que votarão naqueles que dão ajuda de graça, como bolsas e coisas do tipo, antes de me questionar sobre esses auxílios, eu não quero dizer que ele é totalmente inválido, afinal, quem sou eu né? Mas afirmo, em grande maioria esses auxílios só servem para uma única coisa, que é incentivar a vadiagem.
A nossa educação está errada, não sei bem se é a educação ou é a população, mas às vezes começo a pensar, antes de mais nada, eu não me acho o cara ou o foda, mas sei que tenho meus pontos de vista e absolutamente ninguém influencia meus ideais.
Então peraí. Estudei a minha vida inteira em escola pública, tive a mesma educação que a maioria do povo paulista, não sei como que é fora de meu estado, por isso não irei opinar de maneira acentuada, mas a questão é a seguinte, por que eu tenho uma formação que indaga a dúvida e os questionamentos e muitas pessoas não?
Levando em consideração que tivemos a mesma base educacional? Estranho isso, confesso que quando pensei em digitar isso, estava pensando em meter o pau na educação pública brasileira, só que agora vejo que isso vai muito além disso, deve ser algo familiar. ( Oh Educação Pública, não acha que vou te defender, porque não vou nem fudendo, você continua sendo a mesma filha da puta de sempre viu...).
Vem do berço, talvez nem sempre todos tenham incentivos dentro de casa, um incentivo que pensa sempre no futuro, algo para evoluir.
Talvez seja isso, um tema delicado, berço é um tema muito difícil de ser debatido, principalmente pelo fato de não podermos julgar pessoas por seus atos sem conhece-las bem, e essa particularidade me tira um pouco o grau de questionamento, porque a questão familiar é muito humana, e muito complicada de ser debatida abertamente.
Me perdi. Não posso questionar as pessoas assim por terem ou não uma boa base familiar, bom, não posso dizer que o cara não ter uma noção argumentativa seja um problema familiar, talvez o cara seja mesmo é um puta cara preguiçoso, enfim, mas talvez possa ser familiar, e o ser humano tem falhas e às vezes foge um pouco do seu ser pelo fato de estar desestabilizado emocionalmente.
Algo está errado, acho que todo mundo deveria ter um senso de opinião, mas para isso acontecer, precisaria bem mais do que uma educação bem formada, e sim toda uma estrutura que vem do emocional familiar, até a competência de quem vai formar esse senso critico.
E se todas as partes entrarem em um “acordo”, quem sabe, ninguém ouça pergunta retardadas no último mês do ensino médio, mas para isso acontecer, falta muita coisa viu.

domingo, 13 de novembro de 2011

sábado, 12 de novembro de 2011

Não tenho que parar de reclamar


No começo de meu blog, meus artigos eram muito mais voltados a questões sociais e criticas, era uma filosofia alta, só que com o passar do tempo, não tive muito tempo para elaborar minhas teorias, e essas teorias “diferentes” demoram para serem pensadas, não é coisa de uma hora para outra, e nessa falta de tempo comecei a postar o que eu estava sentindo, comecei a desabafar, colocar alguns poemas, algumas coisas do tipo, mas não quer dizer que eu mudei meus ideais ou minhas ideias, quer dizer que estou guardando minhas altas criticas a sociedade, a religião, a tudo, para daqui a pouco, em um post antigo, denominado “Tenho que parar de reclamar, digo que tinha que parar de procurar defeito nas coisas e tal, mas agora eu tenho a resposta para esse post.
Não, eu não tenho que parar de reclamar, tenho que continuar a meter o pau em tudo que eu achar que está errado, pode parecer uma guerra solitária, mas se for para ser assim, que assim seja, não me importa se vou guerrear de forma só, o que importa é que vou tentar usar todos meus ideais contra tudo que na minha concepção estiver errado, e se conseguir pegar na alma das pessoas, nem que seja um pouco, para mim será o suficiente, não to pouco me fudendo com as criticas das pessoas.
Posso parecer um velho resmungão e coisa do tipo, quero mais é que se foda, vou continuar a ser eu, e nunca vou deixar de questionar o que eu avaliar uma merda, ou seja, o Reinaldo não morreu, pode se dizer que ele adormeceu, mas eu sei que esse cochilo chegou na hora de ser interrompido, e agora, agora vou mostrar minhas verdadeiras garras, não ache que morri, não, eu não morri.

Uma semana para meus dezoito anos


Daqui a uma semana completarei 18 anos... Oh!!!! Grandes coisas você leitor deve estar pensando, na verdade, eu mesmo estou pensando isso, pois sei que não será muita coisa que irá mudar em minha vida com minha “maioridade”.
Bom, agora eu posso ser preso, rsrs, não vou mais cometer crimes (eita cara perigoso), mas agora pensando sério, acredito que mesmo sendo algo simbólico, creio que mesmo sem intenção passarei a ser mais responsável com meus atos, afinal, não sou mais um muleque, agora, bem, a um bom tempo já estou bem crescidinho para arcar com todas as conseqüências de meus atos, se bem que nunca pensei em omitir em assumir meus erros, minhas falhas, que são muitas, eu tento assumir tudo o que faço, afinal, os erros são meus e de mais ninguém.
Voltando ao assunto principal, com os meus dezoito anos, não sei bem o que fazer, bom, agora poderei tirar habilitação, não sei bem para que, talvez para andar com minha bike, que está encostada e ainda por cima com o pneu furado, bom, mas e daí que não vou tirar a carta? Agora eu tenho o direito UHU!
Mas enfim, eu sempre espero coisas incríveis de fatos corriqueiros, e muitas vezes acabo não fazendo quase nada, é complicado tudo isso, mas creio que nesses meus dezoito anos de vida, algo enfim irá mudar, só não sei exatamente o que, mas dia dezenove de novembro está ai e veremos, senão acontecer nada, continuarei a viver, normalmente e chatamente, como sempre, mas vai acontecer, eu to sentindo!.
Consegui terminar um post sem falar palavrão hein, sou FODA viu, ksksks.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Nem que para isso, eu tenha que chegar em meus duzentos anos


Queria queimar todo o dinheiro do mundo, pois o ser humano se corrompe por essa coisa nojenta, queria que as pessoas dessem mais valor para os valores humanos e não essa hipocrisia desgraçada que nosso mundo virou, queria que um sorriso valesse mais do que um cifrão, mas mesmo nesse mundo hipocrita, vou vivendo, acredito que um dia vou conseguir satisfazer meus desejos, nem que para isso, eu tenha que chegar em meus duzentos anos.

domingo, 6 de novembro de 2011

Pensamentos avulsos em uma noite de domingo


A vida é uma caixa de surpresa, e no meu caso é uma caixa de coisas monótonas, é como se as coisas acontecessem bem devagar, e muitas vezes, elas sequer acontecem, vou usar o espaço do meu blog para fazer um pequeno desabafo, vou vomitar aqui mesmo, e acredito que esse post não vai sair muito bom mesmo, mas to pouco me fudendo, preciso dar um grito, ao menos nas linhas do word, e lhe convido leitor, a tentar decifrar meus pensamentos tortos e confusos. SeRÁ QUE tu consegue? Tente, depois me diga o que achas;
Esse bicho de se apaixonar pelas pessoas é uma merda do caralho, aff, dá muita raiva, parece que quando começamos a gostar realmente das pessoas, essa mesma pessoa começa a se afastar de ti, e sabe o que você pode fazer?
Absolutamente nada...
E me sinto tão impotente quando não posso fazer nada, é como se eu fosse algo inválido, não sei, talvez Deus deva ter escolhido que a solidão tomaria conta de mim durante todos os meus dias, porque é foda saber que as únicas coisas que me fazem bem de verdade, é a escrita e os amigos.
Nada a mais do que isso, e sou uma pessoa ambiciosa em relação a isso, e quero muito mais do que isso, mas ao mesmo tempo que quero mais, sei que a culpa também deve ser minha, e no fim, devo fazer tudo errado, ou simplesmente não faço nada, não sei, não sei de porra nenhuma, essa é a verdade.
O tempo passa, tem vezes que a única coisa que quero é correr para poder sentir o vento soprar em meu rosto, como se fosse apenas isso que importasse, nesse meio tempo, me sinto livre, mas apenas por aqueles instantes, pois depois passa, e volto a me ver jogado na solidão;
Solidão, o que é solidão? Solidão não é estar só poxa, pois sei que tenho algumas amizades verdadeiras e puras, só que solidão é não ter algo a mais, é como se fosse tudo tão vago, é estranho, bem, eu sei.
Mas são apenas desabafos, desabafos jogados no meio do nada, nada a mais do que isso, é como se o tempo parasse.
E realmente o tempo para quando estamos só, é como se tudo fosse nada, é foda, mas é isso que sinto atualmente, um vazio que me machuca.
Não sou a melhor pessoa do mundo, sei disso, mas acho que Deus é pouco injusto comigo, poxa, acho que mereceria alguém bacana em minha vida, mas isso simplesmente não acontece, e fico vagando, pensando em como não sou nada.
Apenas idéias soltas no meio do vago, ideais sem consumação, é como se tudo em minha vida fosse um grande filme sem final, é como se Reinaldo Del Trejo fosse alguém fora de estoque.
Reinaldo Del Trejo. Um dia queria ser um super herói, outro dia queria ser um pai de família, agora quero apenas ser uma boa pessoa.
Mas o que realmente sou, será que sou bom? Será que tenho bom coração? São perguntas que me faço quase todos os dias da minha vida, não sei se trato as pessoas como elas realmente mereçam, talvez não, talvez eu de valor a algo, e não a outras coisas e pessoas.
Cheio de mas é minha vida, às vezes faço as coisas sem pensar, as vezes penso demais e não faço nada, e de pulo em pulo, vou vivendo, é como se tudo fosse passageiro.
Reinaldo Del Trejo, o que será Reinaldo Del Trejo, acho que se eu fosse um texto, eu até teria uma introdução legal e tal, só que a partir do desenvolvimento, o texto ficaria meio cansativo, deve ser isso, cansativo, devo ser assim mesmo, mas vou fazer o que? Queria até poder mudar, mas não consigo, acho que sou um pouco repetitivo, ou algo do tipo, talvez eu conheça meus erros, mas quem vai fazer com que eu evolua, por que no fim de tudo, sei que essa é minha essência.
Peraí... Essência? Coloquei em destaque um defeito meu como algo positivo? Ai ai, to ficando puto com meus próprios pensamentos, por que afinal. O que eu quero da vida?
Acho que perdi meus objetivos, não tenho algo concreto, tenho que desabafar, não sei o que fazer, já tive muitos sonhos, e parecem que todos estão jogados na lixeira do meu desktop.
O que fazer? Eu não sei. Escrevi isso apenas para desabafar, se você leitor, teve paciência de ler até aqui, me diga o que achas...

Duas pessoas juntas


Às vezes eu começo a observar as pessoas juntas, felizes, e passo a pensar como é bonito compartilhar tudo, ou quase tudo com alguém, e ao mesmo tempo, bate também um pouco de inveja, inveja de não conseguir manter laços tão profundos com as pessoas, na maioria das vezes, e isso não é muito bom.
Pode ter certeza que a culpa é minha, talvez por ter laços egocêntricos, mas mesmo assim, acredito que poderia sim, fazer alguém feliz.
Mas fazer o que? Um dia eu farei alguém a pessoa mais feliz do mundo, isso, eu tenho certeza, mas enquanto esse momento não chega, eu apenas fico no aguardo.

sábado, 5 de novembro de 2011

Os filhos de nossos politicos deveriam estudar em escolas públicas


Estava fazendo várias leituras sobre como melhorar o ensino público brasileiro, e uma que me chamou muita a atenção, é um pouco drástica, mas vou falar sobre ela.
Foi quarta-feira, feriado de finados , já que entrei no tema “finados”,vou falar o que fiz nessa data, sabe, eu não fiz porra nenhuma, primeiramente eu acordei ao meio dia, almocei, voltei a dormir, joguei PES, fui na casa do meu primo, fiquei falando merda, voltei para casa e enfim fui jogar bola com alguns colegas de empresa, meu pai me levou, foi legal, foi um futebolzinho bem descontraído, sendo que o povo tem um nível técnico bem baixo.
Voltei para casa, fui tomar banho, e em cima do cesto, lá estava uma revista superinteressante bem antiga por sinal, creio que a capa era até do Chico Xavier, no mês em que ele iria fazer 100 anos, bom, era alguma coisa relacionada, abri a revista e comecei a lê-la, até que cheguei em um artigo do senador Cristovam Buarque.
Nem me lembro do título, mas falava que a única maneira de fazer com que o ensino público brasileiro melhore, seria obrigando a todos os filhos dos políticos estudassem nas escolas públicas, e se eles fizessem com que seus filhos sintam na pele todo o terror público, quem sabe, assim alguém faça alguma coisa não é?
Nossa, que bosta de país em que vivemos, onde de tantas matérias que li durante a minha vida inteira, a mais eficaz é uma em que o meio para chegar em seu ponto é a pressão, é complicado tudo isso, mas é assim que nosso país está.
Concordo com ele, acredito que essa seja a única maneira de solucionar essa incógnita, a única resposta é pressão, essa é a palavra.
Muitas pessoas nem ligam para isso, mas é foda viu, mesmo estando em meu ultimo mês de escola de toda a minha vida, digo, no que eu puder lutar pela escola pública brasileira, eu farei, e creio que as pessoas devam se mobilizar para isso, para que nosso país não fique deficiente, lembrando sempre, que a educação é a base de uma sociedade, e se temos uma educação defasada, é evidente que nosso país inteiro esteja dentro de tal defasagem.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Vamos para o museu?!


Hoje acordei motivado, hoje junto com minha escola irei para o museu da USP, em São Paulo, que beleza! Olha, povo de Pirapó indo visitar a USP, rsrs, mas sério, estou muito motivado, pelo fato de eu simplesmente adorar museus (tirando o da UNESP de Prudente que não vale porra nenhuma), mas eu quero muito ir ao museu.
Vai ser um tipo de fecha da escola, mas que vai ser muito bacana, ah, isso vai ser muito legal, os quarenta e poucos alunos que foram chamados, foram os melhores de nota em todo o ano, e olha eu ali *-*
É foda, odeio admitir, mas eu, por muito tempo me preocupei muito com decorébas e tal, mas nos últimos tempos, apertei a tecla do FODASSE, e passei a dar mais valor nas questões de opiniões, e acho que cada um tem a sua de forma primordial.
O tempo passa para caralho, e se nos prendermos muito a fórmulas e tal, acabamos por perder toda a essência da vida, e tenho certeza, que isso ninguém quer.
Como eu Reinaldo Del Trejo, fujo do foco, mas acredito que essa sexta-feira vai ser uma coisa muito legal, que vai somar e muito em meu currículo cultural.
É isso ai amigos, espero escrever uns posts bacanas em relação a essa viagem.

A Biróca


Minha mãe tava varrendo a casa, e pegou e disse “Rei, olha uma biróca ali!”, ai eu pensei “Grande bosta, o que vou fazer com uma biróca?”, mas ai me imaginei 10 anos atrás quando minha mãe dizia isso, acho que minha reação seria de sair correndo atrás da biróca para jogar em meu antigo saco de birócas e figurinhas do Yugi-Oh, e que perto delas ainda se encontrariam muitas revistas e desenhos do Dragon Ball, nossa to ficando velho, rsrs.
Logo chego em meus 18 e tudo vai ficando mais chato, mais adulto, caralho, poderia ter corrido e pegado a biróca, mas onde aquela porra foi parar?! Vai saber..,
Só sei que com o tempo, várias coisas mudam, a importância das coisas vão mudando, bom, ao menos meus valores reais não oscilam assim facilmente, e isso é o que importa, mas ta bem, o tempo passa, as coisas mudam, não podemos estacionar no tempo, pois temos que encarar todos os desafios e fases da vida, e quero aproveitá-las de forma mais intensa o possível.