segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

A reviravolta de João



Era uma vida sem sentido. João vivia especulando o que fazer para sair do seu aneurisma cerebral. Estava cansado de ser assassinado a cada raiar do Sol, a verdade é que ele não era lá essas coisas, não passava de um menino cheio de sonhos e uma vontade insana de ser feliz.

Porém, a felicidade batia longe de sua porta. Tantas tentativas perambulantes  e nada dava certo. Até que em uma bela Quinta-Feira, ele resolveu sair de casa e abandonar Marquito, seu gato, que adorava ver João escrevendo e escrevendo, não saindo do seu belo e confortável comodismo.

Marquito ficou triste, porque João começou a gritar e gritar. E já não cabia em um mar de lamentações que eram jogadas no lixo, cada página riscada com um nervosismo cruel e evidente.

João mudou seu destino. Andou por caminhos diferentes e começou a sorrir. Logo ele, que em um  passado distante, pensou em terminar seus dias de uma forma sombria e macabra. É, as coisas mudam. 


Abra a mente! Visite os posts do Blog Mente Aberta!  

Vamos dar um pouco de tempo

O normal cansa

Cansado de estar cansado


domingo, 15 de dezembro de 2013

Queria ser eu


No filme “Forrest Gump”, excelente por sinal, Forrest ao ser perguntado o que queria ser quando crescesse disse uma frase interessante: “Quero ser eu”. Fiquei pensando esses dias, antes de abrir esse documento de Word e atualizar o Blog.

Querer ser apenas o que você é. Nunca vi resposta mais clara, objetiva e sincera. Já que quando a gente menos vê, estamos sendo empurrados por um mar de pressão. Seja pelo lado financeiro, intelectual ou emocional.

Nunca nos importamos tanto com o que o outro pensa. Veja isso na faculdade, onde os cursos “modinhas” sempre estão abarrotados de pessoas. Sempre me perguntei onde estão os sonhos dessas pessoas? O que elas queriam ser quando eram mais novas? Onde foi parar o meu sonho também?

Às vezes me pergunto onde enfiaram nossos anseios. Quem roubou toda a coragem de mudar o mundo? Será que a vida é tão vazia e sem graça que sempre vai dar sono ao acordar? Bom, eu não sei.

Apenas sei que as pessoas deveriam querer ser mais elas do que os outros. Já que a vida dura no máximo uns 100 anos. Então, tá na hora de fazer algo a respeito.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

A vida está passando


O caminho estreito de terra, a poeira era levantada e o olhar nostálgico passando pelos retrovisores. A vida passando a cada marcha. O vento sendo quebrado pelo para-brisa, e em um momento eu percebi. A vida está passando.

Vinte anos nas costas. Duas faculdades iniciadas, uma vivência grande. Ideais mudados, revolucionados. Nada mais é como antes. O sabor e a vontade de mudar não existem mais. O sorriso beira a penumbra e a luta já não é mais sangrenta.

O olhar revoltoso já virou um “quero passar os dias”. A luta em alguns momentos virou acomodação. O divertimento virou uma válvula de escape. Tudo está mudado, a vida mudou, eu mudei.

Queria voltar alguns passos para trás. Sei que é algo nostálgico e impossível. Reclamar da vida é algo complicado, já que olha, fui eu que escolhi cada passo a ser dado. E é dolorido saber que de pequeno em pequeno passo, a gente sai totalmente da rota.

Hoje eu acordo para que o dia não seja doloroso. E esperando que um dia a vida volte nos trilhos. Aos pouquinhos, da mesma forma que ela saiu. E as vinte e quatro horas se tornam passagens saudosistas.


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Mais ou menos estuprado


Já comprou Coca-cola em praça de alimentação de shopping né? Eu iria evitar isso, mas digamos que consegui em partes, não por total. Fui com minha namorada no subway do shopping, e quando vi que 500 ml de Coca era R$4,75 fiquei abismado porque 2 litros no mercado é menos de 5 reais, então subi para o mercado para evitar ser estraçalhado pelo capitalismo.


Cheguei no mercado e vi o preço, fiquei de certa forma feliz ao ver que  2 litros eram R$4,29, então agarrei aquela Coca e fui para o caixa, ai que vi minha desgraça, todos os caixas estavam abarrotados de gente, até mesmo o preferencial tava cheio de velhinho, fiquei puto e olhei o relógio, vi que se eu ficasse na fila, acabaria ficando pouco tempo com minha namorada, então larguei aquele refrigerante e desci as escadas.


Logo vi o bar do cinema, pensei que era mais barato, realmente era, mas nem tanto. Comprei 600 ml por R$4,50 e fui ao encontro do meu amor. Bom, eu não queria ser surrado diretamente pelo capitalismo, mas acabei sendo surrado de forma indireta, já que o giro do mundo fez com que eu não tenha tempo naquele momento de esperar a fila acabar, porque preferi passar esse tempo com minha namorada do que economizar. Essa é a vida, repleta de escolhas. Mas como sempre, fui estuprado pelo capitalismo. Não totalmente, por isso, mais ou menos!

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

A vida é curta



Jéssica era ruiva, olhos claros, branquíssima como a neve, adorava tocar violão e pensar em como a vida seria maravilhosa se ela alcançasse seus objetivos e sonhos. Porém, ela tinha vários impasses que faziam que sua vida não andasse. Ficava estagnada no nada. Sua família era conturbada, ela era sozinha, contava apenas com seu namorado Juan, que ela amava.

Em uma sexta-feira, no inverno de Porto Alegre, Jéssica estava desenhando um anime, a menina adorava desenhar. Achava que esse era um sonho que tinha sido assolado pela faculdade de Direito. Porém, Jéssica se dedicava ao máximo em seus estudos e tinha tudo para ser uma excelente advogada.

Nessa sexta, o namorado Juan a ligou, disse que não dava mais para ficar com Jéssica. A menina ficou cabisbaixa, tentou entender o motivo. Mas Juan apenas disse: “Você não é você, se deixou levar pela sociedade”. A menina desabou mais no choro, pensou em  xingar Juan, já que dois anos de namoro não poderia ser encerrado por telefone.

Mas, apesar de tudo. Jéssica era forte. Vestiu uma blusa bacana e foi para o shopping. Tava enjoada de se sentir o lixo da sociedade, com ela levou um diário, onde ela anotava os seus sentimentos para exprimir para algo a sua angustia de vida.

Sentou na praça de alimentação do Shopping e escreveu:


 Me sinto um lixo. Juan não poderia terminar comigo dessa forma, sempre o amei e o tratei bem.
Por que Juan? O que vai ser da minha vida?


Até que olhou para o longe e viu Juan, em um devaneio pensou que ele a tinha seguido e pediria desculpa. Todavia, ela estava totalmente errada. Juan estava com Natasha, uma antiga amiga de Jéssica. Os olhos da menina decepcionada ficaram rubros. A vontade de matar os dois veio na mente da mesma.

Ela levantou e foi em direção a eles, Natasha olhou para baixo, Juan ficou sem expressão, e Jéssica disse:

_Otários. Espero que morram de HIV, porque eu tenho, seus lixos.

Os dois ficaram esbranquiçados. Era mentira, Jéssica não tinha HIV nem nada, e também sabia que HIV não mata ninguém, e sim diminui a imunidade da pessoa. Mas foi uma forma de se vingar naquele momento e fazer os dois perderem tempo indo para o hospital.

Jéssica chegou em casa e chorou muito. Havia sido traída por uma antiga amiga e por seu namorado. Ficou com nojo da sociedade e pensou em se matar, mas quando esses pensamentos insanos entraram em sua cabeça, ela simplesmente adormeceu.

No outro dia, Jéssica estava decidida, saiu de seu quarto, se aproximou da mureta e olhou para baixo. Sentiu um frio na barriga e não tinha certeza de que era aquilo que queria fazer. Mas mesmo assim pulou.


Pulou na piscina de sua casa da mureta do seu quarto, se sentiu bem ao cair na água. Depois estava decidida a mudar de vida. Não choraria por Juan e largaria a faculdade de Direito, porque a vida é curta demais para vivermos a vida dos outros.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Como lidar com brigas



Existem vários tipos de brigas, que são: Bestas, fúteis, inúteis e as necessárias. Cada uma tem que ser lidada de forma diferente, já que cada uma tem um motivo específico e um contexto para o mesmo. Um grande problema da maioria dos textos de ajuda na net, é que eles acham que todas as brigas tem a mesma fórmula para ser lidada, ai que está um grande engano, porque assim como sentimento, cada briga é única.

Brigas bestas: são aquelas brigas sem um motivo verdadeiro, tipo uma brincadeira retardada que um amigo ( a ) ou namorada ( o ) fazem com você. No momento você fica puto e acaba fechando a cara, que é um puta erro, porque o primeiro passo para resolver um desentendimento é a conversa. Ou seja, ficou puto, vai lá e tenta resolver na hora e não deixar para depois. 

Brigas Fúteis: é aquele tipo que você fica com um ciúme retardado sem um motivo plausível, um exemplo: você é amigo de pessoa x e vê uma foto dele no Face em uma festa e ele não te convidou, você finge que não aconteceu nada e quando ele menos espera, você solta os cachorros perguntando se a amizade acabou. Para brigas fúteis, a única coisa para se fazer e apertar o foda-se e não ligar.

Brigas Inúteis: é aquela que acontece, mas sequer é necessário uma briga, e sim um ponto final na relação ( amizade ou relacionamento ). Por exemplo, seu amigo querido vive fazendo fofoca e você fala um monte de merda para ele, esperando que ele melhore. Olha, isso foi um erro, se ele fala mal de você pelas costas meu caro ou cara, esquece esse filho da puta, nem brigar precisa. Agora, quando for em caso de relacionamento e você ver sua namorada ( o ) te traindo, meu, me diz, para quê brigar? Vai lá e termina essa porra de relacionamento, sem estresse. Ah, mas para não ficar barato, se for uma mulher, apenas diga: “vaca”, e se for um homem: “traíra” e fim. Mas por favor, diga pessoalmente.

Brigas Necessárias: é quando tem que ter a discussão. Bom, não sei se isso se enquadra em uma briga ou conversa, mas às vezes você quer salvar um relacionamento ou amizade e acaba se exaltando. Nesse caso, você tem que manter a cabeça no lugar e tentar ouvir o outro e falar muito. Não adianta ficar puto, tem que manter a calma, ouvir o ponto de vista do outro lado e tomar uma decisão sensata.


É isso galera, em uma briga e, além de brigas, na vida, é necessário ter muita calma e reflexão. Não adianta querer resolver tudo de forma rápida. Tem que ter calma e usar a inteligência. Sei que não sou ninguém para querer dar lição de moral, mas a minha querida namorada Amanda me pediu para escrever um texto sobre esse tema e a atendi.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Insônia vs Não consigo acordar cedo vs Preguiça




Ta ai três frases que descrevem minha vida. Hoje ao acordar, percebi que perdi a aula de Língua Portuguesa II, o que é um porre, já que tenho 15% de falta e, se não me engano ontem teria uma apresentação de um trabalho. O problema é que eu não consegui terminar o trabalho, logo, espero que a professora o aceite hoje.

Fiquei de comprar um despertador, mas sempre esqueço. O foda é que meu irmão ( que me leva pra facul ) também tem essa dificuldade em acordar. O que me leva a pensar que deve ser hereditário esse negócio de se ferrar com horários.

O complicado é que várias vezes eu não consigo dormir direito, fico acordando de madrugada ( o que não foi o caso de hoje, porque se eu tivesse acordado, teria acabado a porra do trabalho ), mas tem dias que fico assistindo televisão e mexendo no pc, o que vem de encontro com minha preguiça, já que não consigo fazer nada de útil a partir da meia noite.

A preguiça faz com que você fique no mesmo patamar de vários concorrentes, e não estou falando de apenas provas e cursos, mas da vida. Enquanto você está deitado com sua bunda suada no sofá, seus concorrentes estão lutando, absorvendo conhecimento. E o que fazer? Bom, ficar parado não dá, já que a vida é extremamente dinâmica.


Sei que poderia evoluir como pessoa. Capacidade para tal eu tenho, porém, a preguiça parece me consumir. Hoje depois de sair da aula, vou correr para comprar um despertador ( daqueles fudidos mesmo ) e quem sabe assim meu dia comece mais cedo e renda mais.

sábado, 2 de novembro de 2013

O interessante sabor do fracasso


Imagine um cara que queria fazer história e acabou fazendo um ano de veterinária. E agora imagine esse cara transferindo o seu curso para Comunicação Social e se dedicar para passar em Medicina. Indo além, imagine esse cara indo mal na prova para tal fim, o que esse cara faria?

O baque foi imenso. Ele pensou em desistir de tudo. Realmente está muito perdido e não sabe como vai ser esse 2014. Algumas vezes ele prefere deitar no travesseiro e deixar o dia acabar, esperando dias melhores.

Ele olha o calendário rodando, pessoas do seu antigo convívio social em ascensão e  ele está em seu segundo curso ( depois de largar o primeiro ) e não tem certeza se vai continuar nele por mais tempo e pior, não sabe se quer fazer isso pro resto da vida.


O fracasso tem um sabor interessante... Parece sangrar no lado da boca, inchar os beiços, mas da mesma forma ajuda a crescer pessoalmente. Os olhos parecem ficar foscos, mas na verdade estão sedentos por vitória. Vitória essa que está por vir. Ou não.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Voltando às Origens

O Blog Mente Aberta começou de forma totalmente pessoal, em algum tempo eu acabei dando uma mudada e tentei deixar o Blog com a cara de outros Blogs com mais sucesso. Infelizmente não deu certo e a cada dia perdi mais leitores.

Antes, eu sabia que tinha ao menos uns sete leitores presentes. Hoje em dia, eu acho que perdi todos. Talvez você de ter passado o olho nesse texto, tenha largado mão. Enfim, só queria dizer que voltarei a escrever o que me der na telha.

Sem mais. O Mente Aberta voltou. Sem preocupações com visualizações, e agora com a certeza que nunca conseguirei um patrocínio real. Mas não pararei de escrever e tornarei a escrever o que me dar vontade!

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Médicos estrangeiros no Brasil





O caso de contratações de médicos estrangeiros é um assunto extremamente polêmico, muitos dizem que é uma maneira de sanar a falta de médicos no Brasil. Até ai tudo bem, eu mesmo acreditava que era uma boa medida paliativa.

Porém, hoje ao ler a reportagem do Jornal O Imparcial, fiquei no mínimo abismado, meu susto foi pelo fato de apenas 10% dos médicos brasileiros terem passado no exame REVALIDA, que tem como objetivo analisar se os médicos formados em outros países tem capacidade de exercer a função em terras canarinhas.

O problema é que os médicos estrangeiros  (em sua maioria cubanos ), não irão passar pelo revalida, e ao entrarem no Brasil poderão exercer a função de médicos a partir do programa “Mais médicos “. O governo federal, para não deixar explicito que queria trazer somente cubanos, acabou trazendo portugueses e espanhóis em seguida.

Antes eu acreditava que o programa “Mais Médicos” tinha um objetivo nobre, agora o vejo com outros olhos, pela simples análise, imagine se um médico espanhol de nível alto iria trabalhar em cidades interioranas do nordeste brasileiro para ganhar “míseros” dez mil reais. E o maior problema é que eles sequer passaram por uma prova que comprove sua capacidade profissional.

Daqui a pouco, o governo federal colocará Médicos Veterinários para fazer a função de médicos. Porque seguindo a linha de raciocínio, é melhor tem alguém do que ninguém. Antes de terminar o texto, essa critica não tem teor contra os Veterinários, porque sei bem o quão difícil é o curso, porém, temos que saber que cada função é uma função e se querem trabalhar como médicos no Brasil, tudo bem, mas precisam provar que tem capacidade para tal.

Finalizo o texto com uma pergunta: Por que os médicos estrangeiros não passaram pelo REVALIDA?

sábado, 12 de outubro de 2013

Por que ter um Blog?


Em minha aula de Língua Portuguesa, minha professora comentou que as pessoas trocaram os antigos diários por blogs e incrementou que quem tem um blog é por questão de insegurança e também por tentar se mostrar na sociedade. Resolvi me calar ao pronunciar minha opinião totalmente pessoal sobre o assunto.

Depois que ela falou isso, passei a pensar os reais motivos de se ter um blog. E cheguei na conclusão que, apesar de discordar de inúmeras coisas da minha professora, o que ela disse é uma verdade, já que ter um blog é uma maneira de se expressar e ser reconhecido na sociedade.

Não tem como ir contra a maré. Somos seres sociáveis e temos a necessidade de ter aceitação da comunidade em que vivemos. Uns mais que os outros, e eu procurei o blog para poder me expressar. É claro que no inicio achava que ganharia uma grana com essa minha pagina, mas com o passar dos tempos eu descobri que manter um blog está ligado apenas ao prazer de escrever, compartilhar e se imortalizar, já que uma fala voa junto com o vento, mas algo escrito fica eterno.


Resumidamente, ter um Blog está relacionado ao prazer de expor e se eternizar. Muitas vezes, acabo postando algumas coisas extremamente pessoais. Porém, sei separar o que pode ser exposto e o que não pode. Mas no fim, sem falsidade. Um dia espero ter reconhecimento sobre esse meu trabalho, que em dezembro completa 3 anos. 

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Vende-se uma vida em troca de alguns trocados



Dinheiro, dinheiro, sempre dinheiro. Quando foi a primeira vez que o ser humano vendeu a alma por algo tão fútil?

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Cidadão estrangeiro e brasileiro


A imigração é um processo de saída de um ou mais indivíduos de um local para outro. Existem vários motivos para que uma pessoa busque mudar de país, como: a busca por uma melhor qualidade de vida, crescimento profissional, entre outros. O Brasil passou por duas fases marcantes pela entrada de estrangeiros: século XVI ( escravos africanos ), final do século XIX e início do século XX ( europeus vindos para substituir a mão-de-obra escrava depois da Lei Áurea de 1888 ) e atualmente no século XXI vemos outro processo de imigração, esse ocorrido por causa da expansão econômica brasileira e também pela crise mundial iniciada em 2008.

A entrada de estrangeiros em nosso país pode ajudar no aumento econômico, já que esses estrangeiros podem arrecadar impostos e assim ajudar na qualidade de vida de nossa pátria. Mas para isso é necessário que todos os imigrantes sejam legais, criminalizando os trabalhos informais e desumanos.

Outro fator positivo da vinda de imigrantes para o Brasil é o cultural. Sendo que uma pátria evolui de forma exorbitante ao ter contato com outras culturas. O Brasil já é um país totalmente diversificado culturalmente, tendo como exemplo o futebol, que apesar de ser inglês foi abraçado pela maioria da população.


Portanto, a entrada de imigrantes no Brasil no século XXI é um evento positivo. Sendo que a economia e a cultura têm muito a ganhar, além de outros meios. Porém, é necessário que esses estrangeiros sejam tratados de forma digna. Uma forma eficaz de fazer com que os imigrantes não sofram preconceitos é a criação de um órgão específico para cuidados aos estrangeiros, fornecendo-lhes informações e proteções para uma vida honrosa em terras canarinhas.

domingo, 6 de outubro de 2013

Escola combina com dignidade


A escola é um dos principais meios de dignificação humana, pois é a partir dela que muitos jovens adquirem aspectos de honra e moralidade, tais itens que definem o que é dignidade. A família contribui para a formação humana, porém, o ser humano é racional, o que indica a possibilidade de mudanças.

À medida que o aluno frequenta a escola, ele tem contato com um ou mais formadores de caráter, que são os professores. Caso essa passagem de valores seja feita de forma eficaz, a construção social, ética e moral do futuro cidadão é inevitável.

Embora o ingressante à escola já tenha indícios de caráter, é papel dos professores ajudar na caminhada rumo à dignidade. Apesar dos salários ínfimos, a licenciatura é extremamente importante na sociedade, já que ela molda os futuros cidadãos para a vida em comunidade.

Portanto, é papel da escola impor aspectos de dignidade aos cidadãos. Porém, para que o alicerce pessoal seja construído de forma sólida, é necessário apoio da família. Uma maneira de conseguir um trabalho em conjunto seria a inserção obrigatória dos pais no meio escolar, por meio de recreações nos finais de semana, além de aulas cívicas e de moralidade para os mesmos. Dessa forma, a família e a escola estariam interligadas na construção do caráter de cada cidadão brasileiro.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Eu gosto de você



Eu gosto de você. Eu posso sentir isso. Então, por favor, não estrague e capriche e dê valor. Porque não é sempre e quase nunca. Então, por favor, olha só, eu g.o.s.t.o de você.

Tati Bernardi

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Questione!


A profissão de policial devia ser uma das mais honrosas o possível, porém, acontece que hoje estamos vendo uma podridão sem tamanho. Que enlaça o sistema executivo ao legislativo.  Como toda  profissão, existem as brigas internas que fazem com que a segurança do povo fique ameaçada.

Além das brigas de caráter interno, existe a mídia que adora emperrar o trabalho da polícia. Lembra do caso Lindenberg, onde esse rapaz aprisionou duas garotas e acabou assassinando sua ex-namorada? E de saber que aquele babaca não foi abatido por causa da pressão midiática.

Talvez você pense em direitos humanos e bla bla bla. Mas onde ficou o direito da menina que estava sendo ameaçada de morte? Que logo em seguida, as ameaças se tornaram fatos sólidos. O ser humano perde seu direito quando ameaça o de seu semelhante. Porém, se os policiais que tinham o “jovem trabalhador” Lindenberg em sua mira tivessem atirado contra o rapaz, acabaria que eles seriam os vilões. Está ai o problema da mídia, ela acaba  apodrecendo o papel de várias profissões.

Lembram-se das eleições de 2006, quando no primeiro turno a Rede Globo atacava de forma insistente o PT, levando o poderoso Lula ao segundo turno. No meio tempo entre o primeiro e o segundo turno, o PT investiu na Globo, e “milagrosamente” a Globo amenizou as críticas contra o Lula, e em seguida o  “nosso santo presidente”  se reelegeu. E olha, nem falei do mensalão...

É complicado saber que nossa sociedade está podre, e dois meios que deveriam ser em prol da população estão arruinados pela corrupção e pelo capital. E o que eu e você devemos fazer nesse fogo cruzado de podridão?


Responder essa pergunta é foda, já que não sabemos o que nos ronda, tampouco o que é verdade e o que é mentira. Eu acho que devemos questionar e tentar ouvir todos os lados. Afinal, tudo é tendencioso, assim como a polícia, a mídia e porque não, o meu blog. Tenha cuidado galera! Não se iluda apenas por um meio para ter uma opinião formada, questione!

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Escola do crime ou ressocialização?


O Brasil é um dos países mais violentos do mundo, segundo o Instituto Avante Brasil. Em alguns casos, a criminalidade é punida com a privação da liberdade. Sendo que em muitos presídios de nosso país não existe nenhuma política de ressocialização do detento.

Retirar um indivíduo da sociedade é uma forma precária de solução, já que essa medida apenas fará com que ele pague pelo passado, e não irá prepara-lo para o futuro quando sua pena de reclusão se encerrar.

Um grande problema das prisões é o ócio, sendo que os exclusos da sociedade ficam inúmeras horas sem nenhum tipo de atividade. Esse impasse poderia ser sancionado a partir de cursos e jornadas de trabalho que já acontecem em algumas penitenciárias, mas sem o vigor necessário.

A cultura é a melhor forma de dignificar um ser humano, e um detento depois de pagar por seus crimes é um cidadão. E é papel do estado fornecer condições para que o ex-detento seja capaz de voltar à sociedade.

Dessa forma, os presos conseguiriam se preparar para a vida fora da penitenciária. Uma maneira eficaz de socializar os presos seria a implantação obrigatória de um psicólogo nos presídios e que aconteçam sessões semanais com cada presidiário. Além da inclusão de cursos musicais, para que os presos não fiquem em nenhum momento ociosos e também para que aprendam a controlar a raiva, já que para aprender música é necessário atenção e comprometimento.

sábado, 28 de setembro de 2013

Eu sou o que eu queria ser quando crescesse?

   


Vi uma imagem esses dias no Facebook e fiquei pensando, afinal, será que quando eu tinha os meus dez anos eu queria ser o que eu sou agora aos dezenove? Essa pergunta me assolou e tirou meu sono por algumas noites e passei a pensar.

Poxa, será que tudo que eu estou fazendo na vida é errado? Será que nada está no rumo certo?  Será que minha imaginação sempre voou aquém do que eu realmente sou capaz? Será que nada passou de vago?

Lembro que aos doze eu sonhava ser um jogador de futebol talentoso, eu queria muito vestir a camisa de times como Corinthians, Barcelona e Chelsea. Mas por falta de talento ou até mesmo de insistência esse sonho ficou para trás.  Não sei bem se todo garoto de dez anos quer ser jogador de futebol, mas confesso que eu queria e muito.

Na verdade, não somente aos dez. Acho que esse sonho ficou rondando minha cabeça até meus dezoito anos, quando rompi o ligamento do joelho e engordei igual um porco. Então todo aquele sonho utópico se esvaziou.

Exatamente nessa época, eu prestei História na Unesp de Assis e acabei passando, mas até mesmo por covardia eu não fui. Lembro que nas discussões em sala de aula e no Senai eu falava que ia mudar meu entorno, a partir de uma pirâmide de pensamentos, e ia ser a pessoa mais feliz do mundo.

Mero utópico. A sociedade me pressionou tanto que me rendi. Acabei não indo para Assis, mas na época eu trabalhava na Sabesp e fiz inscrição em História na Unoeste, então estava tudo certo, até que veio o resultado do Prouni e putamente eu não consegui o de História e tinha conseguido o  curso de Medicina Veterinária, minha mera segunda opção.

Acho que um dia eu pensei em fazer Veterinária, pelo fato de meu pai ter sítio e tals, e eu sempre gostei de bichos. Mas foi ai que eu me perdi legal. Me perdi porque eu entrei em um período que mudou minha vida completamente. Não somente pela mudança repentina de curso, mas porque eu me ferrei legal com meu joelho, e passei 2012 inteiro fazendo fisioterapia. Era foda! Saía da faculdade e ia para a fisioterapia.

Foi um período que pensei em me matar inúmeras vezes. Pode parecer piegas falar isso, mas confesso que não aguentava ver meu peso aumentando de forma exorbitante e estudar em um curso que tinha um monte de gente com pensamentos diferentes do meu ( para não falar um monte de babacas ), mas fui levando com a barriga e pensava que um dia aquela tortura iria acabar.

Ai um dia eu encontrei um amigo meu e ele me disse de seu sonho de cursar Medicina. Achei incrível a ideia dele e pensei que eu não conseguiria viver só cuidando de bichos, logo eu, tão humano. Então tivemos a ideia “genial” de fazermos o ENEM e irmos para alguma cidade do Sul e lá estudaríamos para pegar o Prouni de Medicina aqui na Unoeste.

Mas existiram variáveis ferrenhas que mudaram minha vida. Número 1: Eu conheci a minha atual namorada. 2: Eu tirei apenas 650 e ele 720. Nota essa que poderia ser possível para ele pegar Medicina e assim ele não iria mais para o Sul. Então resolvemos ficar por aqui mesmo, galera, eu moro em Pirapozinho e a Unoeste fica em Presidente Prudente ( que fica há 20 minutos de distância ). Ah, só para saberem, ele pegou Medicina agora no meio do ano!

Porém, tinha um problema, a tal da Veterinária. Eu não aguentaria levar um curso daquele, que é difícil e a vivência com aqueles “lesados de botas” ( não todos, mas a grande maioria ), então veio o Prouni e resolvi fazer Comunicação Social, porque era um curso que eu tinha afinidade e também poderia usurpar da Unoeste, que tem uma puta estrutura.

Talvez você se pergunte o motivo de eu não ficar sem estudar e me focar no Enem, e eu te respondo: Só a cirurgia que eu fiz no joelho custaria 15 mil reais, e graças ao plano que meu pai paga desde minha infância, não custou nada! E eu só posso permanecer no plano de saúde se eu estiver estudando.

Então eu consegui a bolsa para Comunicação Social e agora estou focado no Enem para passar em Medicina. Muitos que me conhecem podem achar que é loucura e que eu não tenha afinidade para tal. Mas na boa, estou pouco me fudendo para esse tipo de opinião! Eu tenho meus anseios e objetivos e nesse momento é passar em Med. E depois eu vejo o que faço.

Mas respondendo a pergunta do título. É claro que eu não sou o que eu queria ser quando criança. Porém, querem que eu faça o quê? Fique chorando porque não consegui ser um jogador de futebol ou que eu me julgue porque não consegui fazer História? HAHA, eu não! Eu quero é mudar o meu entorno e ajudar as pessoas, e nada melhor que conciliar isso com um alto salário, não é?!

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

A diferença dos vinte centavos


2013 foi um ano que mostrou que a população brasileira está de olhos abertos para o meio político. Esse ano foi marcado pelo “Manifesto dos vinte centavos”, que foi uma série de protestos tendo como início a crítica contra a passagem de ônibus e, em seguida o protesto partiu para inúmeros itens sociais.

Desde o Impeachment de Collor, o Brasil não via uma manifestação desse tamanho. Embora, o início dos protestos terem sido na maioria das vezes pacíficos, quase sempre acabavam em vandalismo. Mostrando que muitos não entenderam o real intuito da movimentação, que era lutar em prol da população e não para atacar o público, privado e executivo.

Entretanto, a população mostrou que ainda é capaz de reivindicar seus direitos. Porém, devemos aprender que a luta deve ser conjunta e não separatista. Sendo que em alguns casos, pareceu que o ódio contra as camadas altas era evidente.


Portanto, os manifestos dos vinte centavos foi uma série de eventos que mudou a forma dos brasileiros encararem a vida política, ressaltando que a voz do povo ainda é ouvida. Porém, o uso da violência deve ser evitado, já que sempre existe a comunicação para exaltar os anseios sociais.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

30 dias


O que são trinta dias para você? Bom, na faculdade seria a diferença entre ir bem nas provas e ir mal. Na academia seriam uns 4 quilos mais magro ou de massa. No futebol, a diferença entre o campeão e o perdedor.

30 dias. E tudo isso fruto de uma escolha, a escolha da procrastinação. Daqui trinta dias será efetuado a consumação de um trabalho ou o fracasso. De fracasso em fracasso a vida tá andando, não sei se para frente ou para trás, mas está andando.

O problema é que vários caminhos foram escolhidos, e eu tenho medo de me perguntar quantas oportunidades a vida me dará. Porque estou escorregando na beira da dúvida há muito. Eu queria ter certeza absoluta, mas essa verdade não existe na minha cabeça.

Então vou levando. E enfim, tá na hora de eu ir lutar por esses 30 dias. Que não é tão pouco assim, afinal 30 dias tem o equivalente à 720 horas, o que deve ser o suficiente. Ou não. Só daqui trinta dias saberei!

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Não sonhe. Faça





O vento bate na cortina, um ar gélido e descontínuo, a respiração se prolonga, as folhas estão espalhadas pela mesa. A busca pelo objetivo anseia ação. A ação simplesmente não aparece e a confusão toma conta. Afinal, o que diferencia um querer de um fazer?
Os anos estão passando, a recessão parece bater na porta. O desejo e o vício tomam conta. Os sonhos primários e secundários já ficaram para trás. A busca pela salvação perpetua o coração solitário. A vida está indo e as mãos estão ficando calejadas de tanto apertar o lápis que insiste escrever palavras errantes.
Os olhos castanhos não choram mais. Porém, o caminho estagnou. Agora, é agarrar um objetivo com unhas e dentes. Porque é a única coisa que sobrou em uma sociedade que não deixa as pessoas sonharem.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

A primeira revista: Sports !

É galera, semana de prova comendo legal, e para variar um projeto de revista, deu um trampo do caralho, mas saiu! E to compartilhando com vocês!




domingo, 22 de setembro de 2013

Tenha um plano B


Para isso, é necessário  saber lidar com os “fracassos” da melhor forma possível, e nada melhor do que ter outro objetivo em vista. E para isso existe o tal do plano B. Porque não existe passar mais vago que uma vida sem sentido.
Achar o sentido da vida é extremamente complicado. É difícil até dizer se existe um real sentido na vida. Mas o fato é, se não tivermos algum plano, a vida pode se tornar vazia. E garanto que ninguém quer isso.
Porém, é complicado aceitar que não temos condições de suprir nossas metas, mas infelizmente a vida não é tão fácil quanto queremos. Indo além de conseguir ou não conseguir, acredito que quando queremos uma coisa de verdade não existe tempo ruim, unha encravada, nem nada para atrapalhar.
Enfim, caso a pessoa não consiga suprir sua meta inicial, que pule para outra! E nada melhor que ter o plano b em mente. Exemplo: Se você quer passar em um curso extremamente concorrido, tenha em mente o que fará caso não consiga a façanha.

Você deve ter em mente, que fracassar é uma possibilidade. Então, ou você se prepara novamente para seu objetivo ou então busque metas alternativas.  Porque Objetivos = Vida com sentido, sem objetivos = vida sem sentido. 

sábado, 21 de setembro de 2013

Se eu morresse hoje



Não queria que você chorasse muito. Queria mais que você se lembrasse dos bons momentos, das risadas, das brincadeiras bobas, dos beijos, dos abraços. Eu queria que você se lembrasse do primeiro encontro, sim, aquele que você não sabia se eu era eu.

Se eu morresse hoje. Eu queria que você pensasse no quanto eu te amei. E olha, eu amo pra caralho. Queria ser cremado e que você enterrasse minhas cinzas no local que a gente se conheceu. E não, isso não é uma simpatia. Queria que você fizesse isso para se lembrar que uma pessoa pode morrer, mas um amor não.

Se eu morresse antes de você, acredito que sofreria menos que o contrário. Não sei se é um egocentrismo meu, mas eu te amo tanto que não sei se é possível viver em um mundo sem você. Chega a doer pensar em tal coisa.

E acima de tudo, se eu morresse hoje, eu queria que você continuasse a viver e que fosse muito feliz. Porque amor é um sentimento tão nobre, que não dá para assimilar com prisão. Porque bem, eu te amo, e quer melhor explicação que o próprio amor?!

O que compartilhar?



No século XXI, estamos vivenciando algo que mudou totalmente a maneira do ser humano se comunicar, que são as redes sociais. Essa rede é capaz de transmitir ideias para o mundo todo em questão de segundos. Porém, surgiu uma dúvida, que é como saber separar o que é público e o que é privado.

A disseminação de ideias evoluiu de forma exponencial desde que o mundo se conectou. Um fato recente foi a Primavera Árabe, onde uma ideologia foi espalhada e transformada em queda de ditadores. Esse fato mostrou que uma ideia pode ser implantada em uma população a partir da internet.

Além disso, uma simples frase é capaz de transformar o dia de alguém, como um elogio para uma pessoa depressiva ou até mesmo uma dica. Mostrando que existem coisas que devem ser passadas para o próximo ( ou não tão próximo ). Porque o ser humano é um “bicho social” e tem a necessidade de expor o que pensa e sente.

Porém, existem problemas na divulgação de informação pessoal. E em alguns casos, as pessoas expõem o que não deve ser compartilhado, como a foto de sua casa ou até mesmo um destino. Porque infelizmente existem pessoas de má fé que acabam se aproveitando desse tipo de informação, lembrando que qualquer um pode ter acesso a sua conta, e o inimigo pode estar até mesmo em seu ciclo de amizades.


Para que exista uma separação entre o público e o privado, é necessário que exista uma noção do que pode ser compartilhado e com quem compartilhar. Para isso acontecer é necessário que as mídias batam na tecla do que é particular e o que é público, sendo que educar também é um papel da mídia. Tudo isso deve ser feito para que as pessoas entendam que mesmo em um mundo conectado, ainda existem  coisas que precisam ser mantidas em “off”.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Grandes homens


A grandeza é algo que a gente constrói. Mas para isso, é necessário lutar, lutar e lutar. Nada de ficar parado ai reclamando da vida. Agora, levanta essa sua bunda suada e vai lutar por sua vida!

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Pela metade


Um dos maiores males da humanidade é a tal da multitarefa. Sim, a multitarefa, que muitas mulheres dizem ser um atributo quase que divino. Mas você ai sentado na sua poltrona deve estar se perguntando o motivo da multitarefa ser um male.

Então vamos lá. Responda pra você mesmo, o que você estava fazendo quando estava naquela aula maravilhosa de português. Pera, deixa eu adivinhar, tava mexendo no celular ou pensando na festa do final de semana ou algo do tipo.

É complicado, principalmente para nós que somos adolescentes focar em apenas uma coisa. Porém, apesar de ser complicado, não é impossível. Basta ter força de vontade e determinação e aproveitar cada momento.

Chega de viver meios acontecimentos. Porque a vida não é feita pela metade. Pelo contrário, ela deve ser usurpada até o caroço. Sendo que não existe coisa mais mágica do que aproveitar o momento, brisar, deixar acontecer.

Temos que parar de viver a vida pela metade. Porque ela é uma só, não tem prorrogação, tampouco acréscimo. Agora, na hora  que estiver fazendo uma coisa, aproveite essa coisa, e lembre-se, cada momento é único. E o resto? Bem, o resto deixa para depois!

domingo, 15 de setembro de 2013

Liberdade vem depois do sonho?



Estava pensando nessa pergunta ao analisar como algumas pessoas enfrentam a dependência financeira e psicológica. Um exemplo claro disso é quando um adolescente mora com seus pais e está cursando um curso de nível superior.

Nessa idade, vem em nossas cabeças várias incógnitas, como quando começar a trabalhar e o que vem a ser um desejo da maioria dos jovens, que é morar sozinho. Mas o problema é que caso a escolha seja feita a partir de uma suposta independência, acabamos perdendo várias coisas.

Já estudei e trabalhei na época do ensino médio, e sei o quão ruim é. E olha que eu to falando de escola pública e no período noturno. Imagine levar um curso superior e conciliar com um trabalho? Olha, sei que existem casos e casos. Porém, o que vou falar nas próximas linhas é para repensar no que você anda querendo fazer.

Existem ciclos na nossa vida. E na vida de um jovem existem os seguintes: 1- Curtir a escola ( jogos, conversas jogadas fora e tal ); 2- Estudar firme para o vestibular; 3- Levar o curso superior da melhor forma possível e 3- Trabalhar.

Acredito que esse seja o ciclo a ser seguido. Eu, por exemplo, acabei pulando etapas e acabei não tendo uma preparação adequada para o vestibular. Embora, todos queiram ter sua quase independência financeira, antecipar algum ciclo seria no mínimo displicência.

Em alguns casos, os pais acabam pressionando muito ou até mesmo fazendo uma pressão quase que ditatorial. Porém, em tais casos, é necessário sangue frio e pensar que tudo que você está fazendo é por um objetivo. E para toda escolha é necessário uma renúncia, e nesse caso seria a renúncia da liberdade por um bem maior, que seria a profissão que você almeja.

Entretanto, caso não exista outra saída, e você realmente tenha que trabalhar. Que faça isso da melhor forma possível, sem se achar um coitado. Porque a sociedade adora pisar e espatifar aqueles que se acham vítimas do destino.

É claro que existem casos extremos, e para tais, são necessárias medidas extremas. Porém, minha dica é que não se pule ciclos. Lute primeiro pelo seu sonho, e a liberdade será consequência disso. E foda-se o que os outros digam! Muitas vezes, acabamos invejando aqueles que têm  grana no período da faculdade. Porém, quando esse pensamento vir em sua cabeça, lembre-se que você está lutando por você. E a construção é progressiva e árdua, e não de uma hora para a outra.