quarta-feira, 22 de maio de 2013

Chega de modismo

Muitas pessoas deixam de usar aquilo que lhe convém para usarem aquilo que a sociedade julga o correto.

Apesar do All Star ser um “modismo”, esse meu tênis vem me acompanhando faz muito tempo e nunca deixei de usá-lo por causa de mudança na moda.

Agora, olhe aquela camiseta em seu armário que você adora, que só não usa por estar fora da moda e pense, você não gostaria de usá-la?

Foda-se o que as outras pessoas vão pensar! Você tem que seguir o que você gosta e não aquilo que o modismo impõe.

CHEGA DE MODISMO CARALHO!


João & Maria

João era um jovem alto, forte, inteligente e sagaz, continha o estereótipo aceito pela sociedade, e era considerado um bom partido na pacata Três Corações, no interior de Minas. Ele levava uma vida tranquila até conhecer a doce Maria.

Maria era encantadora para João, para ele, ela era a última flor do bosque ou até mesmo era comparada com os primeiros raios de Sol.

A cada dia eles se aproximavam mais, até que em uma bela tarde enquanto andavam no parque da cidade, o pai de Maria os repreendeu, disse as palavras mais ofensivas para João e afirmou que Maria iria para Belo Horizonte morar com sua tia.

Fato esse ocorreu por uma velha rixa entre as famílias, que até hoje poucos sabem explicar o real motivo, assim como o velho impasse narrado por Shakespeare, mas diferente de Capuleto e Montecchios, as famílias agora o problema era entre Souza e Silva.

Maria foi para Belo Horizonte, com um aperto enorme no coração, dessa vez a pedra no caminho do amor era uma briga entre famílias, e o pai dela acreditava que a distancia seria capaz de aniquilar tal sentimento.

Todos os dias, João ia para o bosque onde costumava encontrar Maria, ali, em seu subconsciente, mantinha viva a esperança de viver o seu grande amor.

Os anos se passaram, o amor não morreu, mas João já havia se acostumado com sua dor e solidão, até que um certo dia alguém tocou sua campainha, João atendeu a porta e era Maria linda como sempre, ela sorriu e disse:

_Eu voltei João.


sábado, 18 de maio de 2013

Quem não deve, não omite. Quem omite, tem algo pra esconder. Quem esconde não é confiável. Quem não é confiável, não merece o meu eu.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Às vezes eu me pergunto o motivo por não termos nos conhecido antes, ai eu lembro que cada dádiva tem um período certo para acontecer.

sábado, 11 de maio de 2013

Amizade na dose certa ou errada?



Óh minha amiga, sei que mudei contigo.
Me afastei, fiquei distante...
Logo depois de alcançar aquilo que eu mais buscava,
não queria que nossa amizade ficasse distante.

Mas é isso que está acontecendo com ela,
está escorregando pelos dedos do sistema.
Engraçado que eu já ironizei as pessoas que isso faziam,
pobre hipócrita eu sou.

Lembra das vezes que passávamos horas e mais horas conversando?
Sonhos eram compartilhados, ideologias.
Era uma época tão mágica na minha vida!
Mas depois eu passei por um período maçante de dor e angustia.

E foi nessa dor que você me acolheu, me fez sentir bem!
Nunca me senti tão lixo no período que passou,
e você estava lá, do meu lado.
Não sei como não cometi uma loucura naquela época.

Mas passou, como tudo passa.
E agora que achei um objetivo e um par
não posso te abandonar!
Seria como esquecesse o médico que salvou uma vida!

Amiga, me desculpe.
Não quero me afastar, não quero esquecer a nossa amizade.
Quero ficar com você ao meu lado pra sempre!
Claro, se você quiser.


segunda-feira, 6 de maio de 2013

Era uma vez

Era uma vez, uma época onde os sonhos eram em ser o Seya, o Goku ou até mesmo o Freeza.

Uma época em que o sorriso não era disfarçado, onde as brincadeiras não tinham segunda nem terceira intenção.

Era uma vez, crianças felizes e cheias de desejos!

Saudades!


Pra caralho

Se eu te falasse todas as vezes que eu gostaria de estar ao seu lado, eu ficaria mudo. Se eu te beijasse sempre que eu quisesse, boca eu já não teria. Se eu chorasse todas as vezes que penso em te perder, minhas lágrimas já teriam se esgotado.

Com você o nascer do sol fica mais bonito, o olhar mais radiante, o escuro acaba tendo um fundo de esperança, a vida passa a ter sentido.

Por você eu me afogaria em olhos castanhos claros, eu diria frases sem sentido, eu gritaria ao nada, eu aceitaria explosões no vácuo.

Desde que te conheci, o mundo mudou. Um pouco de faz de conta mesclado com uma verdade escarrada. Os sonhos voltaram, a energia ressurgiu.

Não preciso mais me fazer de super-homem, tampouco fingir ser o que não sou. Eu vivo com você, eu aprendi a sorrir.

Queria te dizer tudo o que sinto, mas é impossível colocar em palavras todos os sentimentos que lhe dedico. Mas vou tentando, riscando em palavras errantes e linhas tênues para tentar expressar uma fração do que eu sinto.

Vamos resumir tudo isso? Eu te amo pra caralho.


sábado, 4 de maio de 2013

Eu posso mudar

Te fiz chorar inúmeras vezes, te fiz ficar chateada tantas outras. Sou um mar de incógnitas e excentricidades. Mas dentro de todas essas duvidas, eu tenho uma certeza. A certeza que eu posso contar com você.

Você me faz sorrir. Você me faz viver. Por você eu lutaria contra meus maiores defeitos, meus monstros obscuros.

Fica, fica comigo? Eu quero ficar com você! Eu quero estar contigo. Confia? Acredita que eu posso mudar?


Tanto faz

Amigos reunidos, vodka de sabor, suco misturado com álcool, felicidade mesclada com vontade de falar, dose e mais doses, pensamentos exalando, sorriso, cachaça, tereré, conversa jogada fora.

Grito saltitante, saltos endiabrados. Tudo em torno de uma noite de sexta-feira, as pessoas vão embora, sobra a solidão ao deitar no colchão, olhar para o ventilador, a nostalgia vem a galope, a vida sobressai, não sou mais criança.

Duas décadas caindo em minhas costas, vivencias descabidas, sonhos deixados de lado. O de repente batendo em minha porta, maio chegou, mais um ano se passando, nada demais sendo feito.

O de repente virou rotina, a rotina virou vida, a vida monotonizou, os olhos ofuscaram. Tudo entrando no contexto do tanto faz.